Loader
ambiente

Como é a matriz energética brasileira?

28 / 04 / 2021 Curiosidades

Você já parou para pensar sobre todas as fontes de energia presentes em nosso cotidiano? Devemos ir além dprópria energia hidrelétrica e pensar em todas as opções que temos ao nosso redor, como combustíveis que são usados nos carros e aviões ou nos atendimentos industriaisAo conjunto de diversas fontes de energia, damos o nome de matriz energética 

Matriz energética mundial 

As fontes não renováveis movem o mundo — são baseadas na energia a partir de combustíveis fósseis, como petróleo, carvão mineralgás natural representam mais de 80% da força energética de todo o globo. Entretanto, esses combustíveis são grandes emissores de gases de efeito estufa. Sabemos que já existem iniciativas de cidades e países ao redor do mundo, as quais pretendem proibir a circulação de veículos movidos a combustíveis fósseis nos próximos anos. Portanto, além da preocupação em reverter as mudanças climáticas, também é necessário preocupar-se com uma possível transição energética, que leva em conta a finitude dos elementos não renováveis e seu breve esgotamento. 

Dados da Fundação Getúlio Vargas, mostram que ao fim de 2019 a composição da matriz energética no mundo era assim: 

  • Petróleo – 33% 
  • Carvão – 27% 
  • Gás – 24% 
  • Hidroelétrica – 6% 
  • Nuclear – 4% 
  • Eólica – 2% 
  • Biocombustível – 1% 
  • Solar – 1% 
  • Outras – 1% 

Matriz energética brasileira 

Desde a década de 1970, o Brasil vem investindo fortemente em energias renováveis, com destaque para hidrelétricas e biocombustíveis. Hoje, a matriz energética brasileira é a mais sustentável do mundo com 43% de toda a demanda por energia vindo de fontes renováveis, frente a 84% de fontes não renováveis no resto do globo. O caso brasileiro é tratado como exemplo a ser seguido por demais países. Em 2019, a matriz energética brasileira era composta da seguinte forma: 

  • Petróleo – 38% 
  • Hidroelétrica – 29% 
  • Gás – 10% 
  • Biocombustíveis – 8% 
  • Carvão – 5% 
  • Eólica – 4% 
  • Outras – 4% 
  • Nuclear – 1% 
  • Solar – 0% 

Apesar dos números brasileiros animarem comparados aos números mundiais, temos alguns pontos de atenção. Como por exemplo nossa maior dependência de petróleo, acima do resto dos demais países e nossa centralização em um modelo hidroelétrico, já amplamente explorado e que está perto de chegar ao seu limite. Isso devido à viabilidade de grandes lagos ou terras indígenas em unidades de proteção e a dependência de volume de chuvas para a manutenção de grandes reservatórios. 

Os biocombustíveis (etanol e biodiesel) são casos de sucesso no mundo todo, tendo o Brasil como sendo o segundo maior produtor mundial (atrás apenas dos Estados Unidos). Além de possuir capacidade para duplicar ou até mesmo triplicar essa participação, devido à consolidação do modelo de biocombustíveis em nosso país. Algumas fontes como eólica e solar ainda são pouco representativas na matriz brasileira e devem ser mais exploradas ao longo dos próximos anos. Uma matriz com muitas fontes garante sustentabilidade ambiental e segurança no fornecimento de energia.

 

https://fgvenergia.fgv.br/dados-matriz-energetica

https://www.gnpw.com.br/matriz-energetica/quais-as-principais-matrizes-energeticas-do-brasil/

https://www.comciencia.br/com-a-matriz-energetica-mais-renovavel-do-mundo-brasil-lidera-producao-de-biocombustiveis/

http://revistagreenpeace.org/debate-verde/qual-a-matriz-energetica-ideal-para-o-brasil/


Outros conteúdos

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo!